Bem vindo ao G.E.U.C 
Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho

Investigação do G.E.U.C na revista UFO

Leia parte de nosso artigo escrito para a Revista UFO do mês de novembro de 2016,  a revista foi primordial no assunto no mundo, tem 34 anos de existência, e única no mundo em circulação atualmente envolvendo o tema UFO e semelhantes.

''Aeronave triangular e seu possível tripulante no Rio Grande do Sul.''

 Um caso ocorrido há dois anos (março de 2014) próximo à cidade gaúcha de Carazinho leva à suspeita de que o estado tenha recebido uma visita extraterrestre. Não é a primeira e nem será a última vez que se registra fenômeno semelhante no estado, cuja casuística ufológica é uma das mais ricas do país. 

Leia o artigo no site: http://www.ufo.com.br/artigos/aeronave-triangular-e-seu-possivel-tripulante-no-rio-grande-do-sul 


Primeira reunião pública virtual do Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho.

Tema abordado: A fascinante história de Artur Berlet

Ministrante: Sergio Prado, Carazinhense, membro do grupo e amigo da família Berlet.

Segunda reunião pública virtual do Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho. 

Tema abordado: Discussão sobre fatos científicos e históricos, principalmente os mais recentes, que levam ao questionamento sobre a possibilidade de existência de vida fora do nosso Planeta, assim como, a possibilidade de tecnologia suficiente para um contato. 

Ministrante: Carlos Casalicchio, Sorocaba - São Paulo, palestrante nacional sobre o tema.

Terceira reunião pública virtual do Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho. 

Tema abordado: Atlântida, uma civilização perdida!

Ministrante: Yohanna Castilhos, Carazinhense, membra do grupo.

Quarta reunião pública virtual do Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho. 

Tema abordado: Civilização Annunaki

Ministrante: Marcos Klein de Oliveira, Carazinhense, membro do grupo.

Fotos do XVI EGEUS - Carazinho - RS

Clube Comercial de Carazinho - 25 de junho de 2016 - Público total: Aproximadamente 230 pessoas.

Primeira palestra: Giordano Mazutti Andrade (Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho): Operação Prato: Histeria ou realidade?

Segunda palestra: Flávio Munaretto (Associação de Colaboradores e Pesquisadores do Fenômeno Ufo, São Leopoldo): Uma reflexão sobre a existência de vida extraterrestre.

Terceira palestra: Euclides Pereira ( SIGMA - Porto Alegre): A psicobiofísica como terceira via de investigação.

Quarta palestra: Carlos Odone (Grupo Aldebaran de Investigações e Debates Ufológicos - Porto Alegre): A consciência cósmica a partir do fenômeno UFO.


Rádio Diário da Manhã
Rádio Diário da Manhã

Evento Ufológico em Carazinho

25 de junho de 2016 / Entrada gratuita

É com muito prazer que o Movimento Gaúcho de Ufologia (MGU) juntamente com o Grupo de Estudos Ufológicos de Carazinho (GEUC), anuncia a realização na nossa cidade de Carazinho, o XVI EGEUS (Encontro dos Grupos de Estudos Ufológicos do Sul), com palestras aberta ao púbico presente, sob o tema tão misterioso e enigmático que percorre toda a história da humanidade: Os objetos voadores não identificados. O evento será realizado no salão social do Clube Comercial de Carazinho, dia 25 de junho de 2016, com início ás 14h:00min. Teremos livros sobre o tema à venda. Maiores informações em breve. Compartilhem e divulguem o evento.

Reunião do grupo, dia 23/04/2016. 

ATLÂNTIDA a civilização perdida 

Adolf Hitler: O ditador possuía uma memória espiritual com registro da existência de uma raça branca e pura, os arianos, também conhecidos como atlantes ou nórdicos. 

A Atlântida: • Possuíam grande conhecimento em engenharia genética o que os levou a tentar criar uma raça perfeita. Misturavam o DNA humano com DNA de animais na tentativa de aprimorar os sentidos como visão e olfato. Porém as experiências deram errado, e assim criaram as bestas que hoje conhecemos na mitologia. 

• Tinham as pirâmides como receptoras de energia cideral, e manipulavam toda e qualquer energia, o que faz-nos crer que as pirâmides foram criadas por eles e depois passadas aos seus descendentes de diferentes lugares do mundo. 

• Possuíam dons mediúnicos e um grande avanço na telepatia, usavam para comunicação com outros planetas e a terra natal. 

• Forças da natureza, aspectos energéticos metafísicos, radiônicos e espirituais eram unidos numa só ciência. 

• Exploravam o cobre, ouro e a prata, e quando não os traziam de fora da ilha, os fabricavam quimicamente. 

• Conheciam um metal denominado "Orichalco" que não se sabe se era produto da terra ou o resultado de transmutação, e que, com eles desapareceu. 

 A civilização: • Eram seres de estatura muito alta, tanto homens quanto mulheres podiam medir de 2,15m a 2,55m. 

• Tinham rosto triangular, alongado, e olhos claros de um azul quase transparente. Lembrando as estatuas da Ilha de Páscoa. 

• Se alimentavam pela luz o que era muito útil para as viagens interplanetárias que duravam cerca de 5 a 10 anos. 

• Sua missão era aprimorar a raça já existente, implantando assim, uma sociedade Interplanetária baseada no amor e na fraternidade. 

A destruição: • Devido a ganância, e a briga por poder, a civilização começou a inverter os valores os quais tinham a missão de ensinar para o resto da sociedade e assim acabaram se autodestruindo aos poucos. 

Maias: • Descendentes de sábios, sacerdotes, assim como os Egípcios e os Celtas, ao fugirem da ilha, os Maias fixaram-se na América Central. 

• Construíam suas edificações e depois de determinado tempo destruíam como se não quisessem ter sua cultura descoberta. 

• Conservavam o corpo de Júnia - Filha de Athiluz, juiz de Atlântida que aplicava as leis de maneira correta e justa. Ela previu a destruição chegando, porém foi chamada de louca até mesmo por sua família - pois acreditavam que ela era sua ligação com o passado. 

• Fugiram com a chegada dos Espanhóis , abduzidos pelos arianos. 

Os Draconianos: • São uma raça extraterreste com a aparência de um dragão. Sua relação com Atlântida? Os dragões eram treinados e domados pelos habitantes para servirem a eles, quando os valores foram deixados para trás, a guerra também pode ter afetado os dragões, fazendo assim com que se revoltassem contra os humanos. 

Teorias: • Ela não existiu - Platão a Inventou. • Foi engolida pelo Triângulo das Bermudas. • Era a Antártida. 


Parte do depoimento do Coronel da Força Aérea Brasileira, Uyrangê Hollanda, responsável pela Operação Prato em 1977, para monitorar atividades extraterrestres no Pará e Amazônia. 
Quais as características dessa "coisa"? Para responder, tenho que dizer por que nós estávamos lá. Bem, fomos ao local porque tenho um amigo, oficial da FAB na época, o capitão Victor Polonês, que gostava muito de pescar e frequentava o local. Um dia, sabendo que a gente estava nessa investigação, contou‐me o caso de um rapaz que trabalhava apanhando barro para uma olaria próxima dali. Essa olaria era de Paulo Keuffer, de Belém. O rapaz se chamava Luís e me contou um fato incrível. Disse que certo dia, enquanto colhia barro, viu vestígios de uma paca comendo restos de flores de uma árvore à beira do rio e a acompanhou para caçá‐la. Ele voltou à olaria, esvaziou o batelão,aprontou uma espingarda, voltou ao local, onde armou um acampamento em cima de uma árvore. Pendurou sua rede e ficou com lanterna e espingarda preparadas para a chegada do animal.

E aí, o que aconteceu depois disso? Bom, quando ouviu um barulho, e pensou que era a dita cuja, passou por ele uma luz muito forte que logo depois voltou e parou sobre onde estava. Do centro dessa nave, descrita como sendo similar à cabine de um Boeing 737, abriu‐se uma porta ou algo assim e desceu um ser com forma humana. Luís disse‐me que não teria visto escada de corda, nem de metal, mas que a entidade tinha descido
através de um foco de luz, com os braços abertos. Quando ele se aproximou, e Luís viu que estava correndo perigo, pulou fora e se escondeu numa árvore próxima, mas ficou observando o que se passava. Então o ser chegou com uma luz vermelha na mão ‐ que não era lanterna, mas estava na palma de sua mão ‐, e examinou a rede deixada na árvore. Como também o lugar onde estava e tudo o mais, mas não procurou Luís nem ficou
vasculhando o local. O ser foi direto ao local onde o rapaz tinha se escondido, morrendo de medo. Rapidamente, focou um raio de luz vermelha em sua direção, fazendo‐o correr para dentro da vegetação.


Encontro do grupo dia 26/03/16, com o tema

A EVOLUÇÃO HUMANA E O SURGIMENTO DE UMA NOVA ESPÉCIE NA TERRA

Baseado no livro "Uma breve história da humanidade sapiens"

I - DA EVOLUÇÃO HUMANA

Nos primórdios terrestres existiam as espécies umas ditas:

Homo Rudolfensis

Homo erectus

Homo nandertaus

Homo sapiens.

Especificamente o homo sapiens, surgiu depois das demais espécies, conhecido pelas características pensantes, o que lhe diferiu dos demais.

Entre os pesquisadores há uma grande discussão sobre o que teria feito com que o homo sapiens se sobressaísse sobre as demais espécies humanas, fazendo com que desaparecessem do Planeta Terra. 

Teoria 1: Homo sapiens matou e extinguiu todas as demais espécies.

Teoria 2: Homo sapiens cruzou com as demais espécies e que explicaria os diversos tipos raciais humanos.Teoria que estimula o racismo e por isso não muito aceita, afinal, se Hitler fez o que fez, mesmo sem a comprovação dessa teoria o que mais se poderia fazer diante de tal confirmação?

Além do mais, na natureza, a mistura de cavalo com burro resulta no animal dito como Jegue, uma espécie que não consegue procriar.

CEREBRO GIGANTE: + gasto energia, que gera mais fome e + tempo em busca de comida.

Corpo mais frágil, pois muito mais energia é enviada ao cérebro.

ERETOS: Pode usar mais as mãos, mas que foram penalizadas por dores nas costas e rigidez do pescoço. Para continuar a ler o resumo do encontro faça o download abaixo

Contato Imediato de Zero Grau (CE-0)

É a observação do OVNI a grande distância. Luzes e aparições, na qual é impossível determinar de forma correta a forma e a natureza do suposto objeto. É aqui que acontecem os erros de interpretação.

Contato Imediato de Primeiro Grau (CE-1)

A observação é realizada a curta distância, o que permite captar alguns detalhes do OVNI, como janelas, pontos de luz, anexos, ruídos e outros detalhes físicos do mesmo.

Contato Imediato do Segundo Grau (CE-2)

Ocorre quando o OVNI pousa ou sobrevoa um determinado local, deixando indícios fortes de sua passagem, como vegetação queimada, marcas no solo, fragmentos, interromper o funcionamento de aparelhos, da energia elétrica, além de provocar perturbações em animais e em pessoas (paralisia, dores, perda de memória e outros efeitos fisiológicos).

Contato Imediato de Terceiro Grau (CE-3)

É possível observar tripulantes do OVNI (dentro ou fora dele), sem que haja, no entanto, qualquer tipo de comunicação com eles.

Contato Imediato de Quarto Grau (CE-4)

Ocorre quando, além da observação de tripulantes do OVNI, há algum tipo de comunicação - palavras, gestos, telepatia - com os seres extraterrestres. 95% se dão telepaticamente.

Contato Imediato de Quinto Grau (CE-5)

É o contato mais íntimo entre humanos e extraterrestres. O observador chega a entrar na nave que os seres controlam, voluntariamente ou não. Se for à força, fica caracterizado como seqüestro/rapto, chamado de abdução.

NL: Noctural light (Luz noturna) - um objeto brilhante avistado á noite a mais de 300 metros de distância.

DD: Daylight disk (Disco á luz do dia) - um ovni visto durante o dia a mais de 300 metros de distância.

CE-x: Close encounter e ''x'' o grau do contato.

Comprovações físicas de casos Ufológicos.

Nesta categoria temos toda a gama de vestígios físicos de eventos ufológicos registrados pelo mundo. A vantagem deste tipo de evidência é que elas podem ser analisadas cientificamente de maneira irrefutável confirmando assim casos ufológicos em que este tipo de evidenciação aparece.

Amostras Metálicas: Caso Ubatuba-Praia das Toninhas SP, amostra metálica coletada após explosão de OVNI. Analises indicaram magnésio em alto grau de pureza (1º imagem).

Cicatrizes: Caso da Ilha do Caranguejo, neste caso um pescador morreu e outros dois pescadores foram queimados por objeto luminoso que ambos viram naquela noite (2º imagem). Caso Landrun: Texas EUA, avistamento de OVNI a curta distância e sequelas físicas derivadas do avistamento (3º imagem).

Caso Antônio Nelson Tasca, Chapecó-SC: Abduzido com marca de queimadura de 3º grau, indolor nas costas (4º imagem).

Vestígios físicos, Guadalajara, México: Após pouso de OVNI o terreno ficou vitrificado por ação do calor emitido pelo objeto. 

Comprovações de natureza fisiológica.

Caso da Barragem do Funil: Durante o avistamento a testemunha disparou contra o OVNI, o mesmo revidou com um flash que foi emitido do objeto ocasionando paralisia, cegueira temporária, ausência de paladar e olfato, sensação de leveza, surdez temporária de 10 dias.
Caso Valencia: A testemunha do caso teve ofuscamento e perda momentânea de visão. Após 15 dias começou a sofrer de visão dupla noturna.
Casos chupa-chupa e Operação Prato: Ferimentos diversos nas milhares de testemunhas, pelo menos 3 mortes, fobias e traumas, anemias, dores, inchaços.
Caso Alfredo Marques Soares: Após o contato sua perna esquerda apresentava-se preta e azulada com aspecto de queimada. Em exame médico constatou-se bolhas e infecção no local. Por dois dias urinou em demasia, sentiu dores de cabeça, dor no estômago, diarreias e dores nas costas. Todo o lado esquerdo do corpo doía e necessitou usar muleta por aproximadamente 3 meses. 

Contato imediato em Brusque, o protagonista avista um disco voador e 3 tripulantes, que disparam um raio em sua perna, a mesma fica paralisada vários dias. 

Caso São José do Rio Preto, 1973 , um impressionante caso ufológico de avistamento de disco voador tripulado, e com vários efeitos fisiológicos sobre a testemunha, que teve perda de acuidade auditiva após o contato. 

Contemplar as pirâmides do Egito corta o fôlego de qualquer um. Segundo o historiador grego Heródoto, a maior de todas (Quéops), foi construída por 100.000 homens em 20 anos de trabalho, com o uso de 2.300.000 blocos de pedras, com uma variação de peso entre duas e quarenta toneladas. Para que tanto esforço? Qual era o propósito de erguer um monumento de pedra dessa magnitude? A maioria dos arqueólogos afirma que elas foram construídas para servir de túmulos dos faraós e de nobres, os egípcios conservavam os corpos mumificando-os e os enterravam nos túmulos dentro das pirâmides. Mas muitas coisas não conferem, por que até hoje nenhuma múmia foi encontrada dentro das pirâmides? Por que não temos hieróglifos dos egípcios, representando a construção das pirâmides? Em todo o Egito existem milhares de hieróglifos, nas tumbas, nos templos, nas paredes, por toda a parte, e nunca foi encontrado um desenho em algum lugar, algo que mencionasse seu povo construindo as pirâmides. Estamos falando de algo que demanda um gigantesco esforço, para não termos um desenho, ou representação que pudéssemos interpretar como se fosse a construção delas. As pirâmides não foram construídas pelos egípcios, nos textos falam sobre enormes monumentos sendo construídos, e quem eles dizem que construiu? Foi o ''Deus Sol''. Os maias, incas, chineses, japoneses, todas essas culturas que possuem esses monumentos nenhuma disse: Foram nós que construímos. Todas afirmam que foi o ''Deus Sol'', que aliás, segundo eles, foi quem os ensinaram a construir, escrever e falar. 

Giordano Mazutti Andrade.

Alienígenas teriam visitado a Terra durante a Guerra Fria com o objetivo de evitar uma catástrofe em nosso planeta. Essa afirmação parece maluca? Pois saiba que ela foi feita por Edgar Mitchell, um renomado astronauta da NASA, sexto homem a pisar na Lua, para uma entrevista concedida ao jornal britânico The Mirror. Segundo ele, os extraterrestres têm tentado evitar que entremos em guerra, incentivando a criação de um mundo de paz. O astronauta teria conversado com diferentes oficiais da aeronáutica dos EUA que trabalhavam nos silos durante a época. "Era muito comum ver OVNIs voando próximos as bases militares, com o propósito de desmontar diversos mísseis nucleares nos silos. Os alienígenas foram uma das principais causas de falhas em testes balísticos na época", garante Mitchell. Edgar é uma figura frequente nas revistas de ufologia. Ele fez parte da Apollo 14, viajando para a Lua em 1971, e tem sido um fervoroso defensor deste campo de estudo desde que voltou. Além disso, Mitchell cresceu no Novo México, estado americano famoso pelo caso de Roswell, quando uma suposta nave alienígena teria caído e sido capturada pelo exército americano, em 1944.  

A descoberta de um possível outro planeta no nosso sistema solar, denominado George pelos astrônomos, fazem-nos voltar a milhares de anos atrás, onde os Sumérios e outros civilizações já sabiam da existência de outro planeta além desses conhecidos por nós. Os astrônomos detectaram que as órbitas de pequenos corpos celestes estavam sendo alteradas, e assim, matematicamente chegaram a esta conclusão.
Na verdade, os Sumérios consideravam nosso sistema solar como composto por 12 planetas, pois contavam o Sol a Lua e este planeta que na época era conhecido como Nibiru. Vejamos em seus manuscritos, desenhos, obeliscos, que além de afirmar a existência deste último planeta do nosso Sistema Solar, também relatam o contato com os seres vindos deste planeta (Nibiru), no qual eram considerados como Deuses, e chamados de Anunnakis (aqueles que viam do céu).

O curioso desse povo era a fonte de tais conhecimentos. Como uma civilização tão antiga já sabia que nossa Lua era feita de ferro? Chegavam até a chamar a Lua de "pote de ferro" - fato que só no século XX a NASA teve capacidade de confirmar. Como é que eles já sabiam que a Terra era redonda? Que ela não estava no centro do Universo e já sabiam da existência de Plutão (só fomos descobrir isso em 1930). Na verdade eles afirmavam que Plutão era um satélite de Saturno que se desprendeu e tomou uma órbita própria. Mistérios que só (re) descobrimos muitos anos depois.
Alguns desses mistérios ainda nem temos tecnologia suficiente para confirmar. Os Sumérios tinham convicção de que existe um o planeta chamado Nibiru, que é dono de uma órbita totalmente diferente dos demais planetas do nosso Sistema Solar, e que faz um circuito tão grande, que dura 3.600 anos para completar a trajetória. Se eles acertaram quanto a existência desses planetas, do material que eles são feitos, da órbita de cada um, por que iriam errar quanto a existência de um planeta a mais? E se ele tem uma órbita tão grande assim, explica-se o fato de ainda não termos o encontrado.

Então todo esse conhecimento avançado dos sumérios é entendido por alguns estudiosos como uma interferência extraterrestre. Pois não é concebível que uma sociedade tão antiga saiba de tanta coisa, nem que tenha feito tanta coisa. Algumas peças de arte sumérias foram encontradas espalhadas por todo o mundo. Como isso seria possível? Os sumérios faziam pequenas estátuas de possíveis astronautas, naves espaciais e foguetes, além dos desenhos de seres extraplanetários e suas naves.
Vale lembrar que, os Maias tinham um calendário que se resumia em vários ciclos, e o seu maior era um ciclo de 3.600 anos (a mesma trajetória da visita de Nibiru). Os babilônios falavam de um planeta chamado de Marduck e os gnósticos acreditam num apocalipse causado por um planeta chamado Hercóbulos. Após toda essa polêmica, os cientistas tratam-no como um planeta ainda não confirmado, e o chamam de Planeta X, pois não querem ligar com o possível planeta George descoberto recentemente. É tudo fruto da imaginação dos Sumérios e de outras civilizações, ou foi fruto da comunicação e o contato com esses seres? A resposta não saberemos, talvez, futuramente quando nós formos contatados e vermos que não somos tão superiores aos nossos antepassados.

A hipótese criptoterrestre.

Era inevitável, que alguém sugerisse que os UFOS/OVNIs eram o produto de entidades inteligentes não humanas invisíveis que habitam a superfície da Terra. Essa proposta parece ter surgido nos escritos do biólogo e pesquisador forteano Ivan Sanderson, que afirmou em seu livro de 1970, ''Invisible Residentes'', que os ufos vinham de uma civilização muito mais avançada que a atual humanidade - talvez nativa desse planeta ou não.
Como evidência, ele apontou para uma série de fenômenos incomuns associados aos oceanos, bem como ao foto de algumas testemunhas de Ufos terem vistos discos voadores saindo do mar ou entrando nele.
A teoria de Sanderson também lembra a ficção '' A Mirror for Observers '', de Edgar Pangborn, que apresenta refugiados marcianos se escondendo dos olhos dos humanos, enquanto tentam guiar a evolução humana.
Mesmo assim, a menos que alguma evidência que sustente a afirmação de uma espécie não humana e tecnologicamente avançada habita o mundo junto á humanidade, a hipótese provavelmente ficará relegada á ficção científica, mas tento inúmeros casos ufológicos dessa natureza.

Avistamento e filmagem de Objeto Voador Não Identificado em Sarandi/RS.
Na madrugada de segunda feira (08/02/2016), por volta de 00:45h, no bairro Beira Campo, município de Sarandi, nas dependências da Lanagro os guardas que fazem a vigilância do local presenciaram um fato estranho no céu.
Avistaram um ponto luminoso que se movia em várias direções e filmaram o momento com o celular, pensando que talvez a luz branca não fosse captado.
O ponto luminoso foi avistado na guarita localizada sentido silos que a Cotrisal alugou da Agro Cereais Wagner, segundo informação de um dos vigilantes não é a primeira vez que observam o fenômeno, mas essa vez chamou a atenção e foram feitas imagens e um vídeo.Em outras ocasiões,bolas de fogos já foram avistadas,eram três,e chegaram muito próximas uma das outras,além de de outra testemunha ter tido marcas luminosas no peito e na sua bota derivada de um avistamento de um objeto luminoso no céu. Uma cabeça de gado também já sumiu, sem deixar marcas, segundo o dono da fazenda, na mesma noite luzes foram vistas no céu. Agradeço ao blog de Carlos Rogerio Machado pelas informações e texto, no qual me ligou,o mesmo entrevistou hoje uma das testemunhas.

Pouso em Ronda Alta/RS 2007.


Uma lavoura de soja, um verde latente interrompido por um enorme círculo de plantas queimadas e terra revirada. Uma enorme mancha vista do céu, lembrando um pouco um Sol (daqueles que desenhamos quando somos crianças, cheio de pontas). Dentro do local havia escavações nas quais se notava o uso de equipamento para a retirada de terra e, perfuração em espiral dentro de cada escavação maior, então aí começava o mistério maior..
Após todas estas provas e evidências ligadas a milhões de casos ao redor do mundo, vem o depoimento crucial do agricultor e proprietário da plantação, o senhor Roque Vargas, que algumas semanas antes havia visto um objeto voador não identificado, em plena luz do dia cruzar o céu emitindo um zumbido, que segundo a testemunha parecia um "míssil" que iria cair a qualquer momento e explodir, após não acontecer isso Roque correu para dentro de casa, contou aos filhos sobre o objeto luminoso que cruzou o céu e foi criticado pelos filhos, que não ficaram muito crentes no depoimento do pai, comprovando semanas após o que seria o tal do OVNI avistado e o que teria causado dias depois.
Já no relato de Roque Vargas, o objeto era cilíndrico, parecendo um charuto. As marcas encontradas no local lembram um triângulo pelo alinhamento entre as escavações e o formato da marca na plantação.

As frases mais célebres envolvendo o fenômeno UFO.

"Por trás das cortinas, os oficiais de alta patente da força aérea estão muito preocupados com os UFOs. Mas devido à política oficial de segredo e ridicularização do assunto, muitos cidadãos são levados à acreditar que os UFOs são tolice."

Almirante Roscoe Hillenkoetter, ex-diretor da CIA.

"Este é assunto mais secreto que existe para o governo dos EUA, o seu nível de classificação em segurança está acima até da bomba de hidrogênio..." - memorando do governo canadense, ultra-secreto (1950).

"... nós perdemos muitos homens e aviões ao tentar interceptá-los" - general Benjamin Childlaw, comando de defesa aérea (1953).

"Estou convencido de que esses objetos existem e de que eles não são fabricados por nenhuma nação aqui da terra" - comandante-do-ar Lord Dowding (1954).

"... isso ainda é classificado como 'acima de ultra secreto'. Eu tenho, entretanto, ouvido que há planos para liberar alguns, se não todos, esses documentos num futuro próximo" - senador Barry Goldwater, responsável pelo comitê de inteligência do senado (1975).

''Recebi ordens para destruir as fotos mais críticas que demonstravam a existência de ruínas e tecnologia extraterrestre na Lua''

Dr. Ken Johnston, gerente da divisão de controle de dados e fotos do laboratório de recepção lunar da NASA.